5.12.07

Terrorismo

A ETA atacou neste fim-de-semana, desta vez em França, assassinando um guarda civil e deixando outro em coma profundo. Para além da repugnância que tal acto nos merece o que está em causa é o fracasso total da política de diálogo de Zapatero que, na realidade, nada mais tem feito do que reforçar a referida organização. Com assassinos que apenas querem tomar o poder para o exercerem em proveito próprio não há diálogo possível visto que toda e qualquer concessão é por eles vista como uma fraqueza da nossa parte e que convém explorar. A História tem vários exemplos de situações nas quais, se tivesse havido firmeza e determinação, se poderia ter evitado consequências muito mais graves. Basta pensarmos, por exemplo, no silêncio da França perante a ocupação alemã do Ruhr, na política de apaziguamento de Chamberlain em Munique, na ingenuidade de Truman perante as promessas de Estaline, na política de “détente” levada a cabo por Willy Brandt (e também Olof Palme, um inimigo de Portugal que forneceu armas aos terroristas que se batiam contra a presença portuguesa em África) e à qual ele chamou Ostpolitik, isto só para citar alguns exemplos. Como a generalidade das “cabeças bem pensantes” é incapaz de tirar lições da história tudo isto de nada serve. Mas o problema é naturalmente mais profundo ele prende-se, a meu ver, com o fascínio que o fenómeno revolucionário, visto como uma caminhada de “libertação”, continua exercer no subconsciente de toda esta “fauna” mesmo por parte de muitos que não se consideram de “esquerda”. O terrorismo é inerente à dinâmica totalitária servindo, não tanto para destruir qualquer oposição, mas para a conduzir ao inventar uma oposição imaginária (o nobre emigrado durante a revolução francesa, o “inimigo do povo” durante a revolução bolchevique, o “fascista” ou a “reacção” no pós 25 de Abril, entre outros). Por detrás deste fenómeno estão, não os “pobres e oprimidos” de acordo com a vulgata muito em voga, mas intelectuais frustrados, invejosos e por conseguinte possessos de ódio contra tudo aquilo que dinheiro não compra: o bom gosto, a honra, a distinção, um passado familiar etc. Um belo exemplo disto é o regicídio, cujo centenário se comemora no próximo dia 1 de Fevereiro, e que foi perpetrado por uma organização terrorista, a Carbonária, montada por este tipo de personagens. Receio bem que ainda tenhamos que esperar algum tempo até que este facto se torne, na mente de toda essa “fauna”, aquilo que o é na realidade, isto é, ÓBVIO.

2 Comentários:

Blogger chenlina disse...

chenlina20160428
rolex submariner
cheap nfl jerseys
louis vuitton handbags
polo ralph lauren
juicy couture
adidas originals store
oakley sunglasses
adidas shoes
oakley sunglasses
nba jerseys
michael kors handbags
christian louboutin outlet
ugg outlet
oakley sunglasses
pandora outlet
hollister uk
beats by dr dre
michael kors outlet
michael kors outlet
nike air max 90
michael kors handbags
nike huarache
coach outlet
cheap jordan shoes
hollister clothing
true religion
ray ban wayfarer
michael kors purses
replica watches
nike air jordan
michael kors outlet
tods outlet online
louis vuitton outlet stores
michael kors handbags
louis vuitton outlet online
kate spade
oakley sunglasses
lebron 13
fitflops
kate spade handbags
as

04:35  
Blogger soma tarek disse...

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&
http://www.kuwait.prokr.net/
&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&"http://www.emirates.prokr.net/
"
&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

18:18  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial