19.11.06

"Isto merece um postal" - uma descarga mental (II)

Acabei por não sair, rendido a terminar a leitura do 1984 de George Orwell. Dou comigo a olhar para as paredes, dando graças a Deus por não ter teletela, nem vozes estridentes cantando composições beligerantes, muito menos vigilância permanente que me obrigue a refugio num qualquer cubículo fora do alcance do olhar do Grande Irmão. Percebo melhor, com esta leitura, uma das muitas razões pelas quais detesto sítios muito frequentados, à excepção da alienação tão querida do estádio do Glorioso a abarrotar. Temo sempre os olhares alheios, não tanto pelo julgamento que sempre transportam, mas mais pela própria percepção em si de estar a ser observado, mesmo que a isso tenha autorizado pelo facto de ali me ter deslocado. Medo tenho de quando o olhar indiscreto invadir a privacidade, aquela de Winston em estar à lareira sem ser vigiado, sem me ser permitida a estada isolada - não necessariamente solitária - dentro das minhas quatro paredes caiadas.
Eles andam ai, claro está que andam, em género de olho que tudo vê, aquele das verdinhas norte-americanas encimando a velha tradição piramidal do antigo Egipto e coisas que tal, a lembrar aventaladas nas lojas da área residencial do membros do Partido.

4 Comentários:

Blogger Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Simão:
É reduzir os pequeninos olhares da multidão à sua insignificância, nenhum deles tem a ameaçadora dimensão de instrumento do GHrande Irmão.
Abraço.

20:57  
Blogger Simão dos Reis Agostinho disse...

Nos olhares da multidão há sempre aqueles que não se movem indiscriminadamente. Têm alvos específicos, são mordazes e causam bastante incómodo. Mesmo assim, quem não deve não teme, e eu devo estar em dívida altíssima com o mundo.

abraço

21:03  
Blogger Flávio Gonçalves disse...

Resta-lhe ler, se ainda não leu, "Admirável Mundo Novo" de Huxley, "Nós" de Zamiatine e "O Tacão de Ferro" de Jack London... fica com a biblioteca completa.

17:24  
Blogger Simão dos Reis Agostinho disse...

Caro Flávio, já tinha notado no seu blog a predilecção que tem pelos referidos livros. São leituras de uma vida toda, especialmente recomendadas à juventude e adolescentes.
abraço

17:55  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial