5.12.06

Da desonestidade intelectual (II)

Segunda falácia dos defensores do aborto:

"O aborto resolve..."

Falso. O aborto remedeia. Afirmar que a prática abortiva suprime os condicionalismos sociais que a provocam (quando os há) é negar a possibilidade de resolve-los na raiz. Ora, a sensibilidade social da esquerda, aquela de que se apoderaram como detentores, perde-se na falácia da lógica abortiva como consequência da pobreza ou violação, por exemplo. Como se não bastasse, este remediar camuflando acarreta a morte de um Ser Humano. A pobreza material não se agrava e o crime não cresce (pelo menos directamente), mas a moral morre.

2 Comentários:

Anonymous António Bastos disse...

Afirmar que o aborto resolve é promover a desresponsablização do acto sexual e, por isso, o hedonismo. Como se o amor pudesse ser separado da responsabilidade. Que maldita tendência esta que existe potencialmente em todos nós de recusar a responsabilidade (cheira-me a socialismo! Não gosto)e de, ainda por cima, lhe chamar ilusoriamente liberdade.
Um abraço para si Simão

12:20  
Blogger Simão dos Reis Agostinho disse...

A noção de liberdade perde-se nas mentes dos que a pensam como libertinagem. Vá lá dizer-lhes que a verdadeira liberdade se vive na obediência, ou na liberdade total e última de abdicar de ser livre. Vá lá convence-los de que a liberdade sem referencia maior, aquela do Deus Livre e do Amor, acaba por ser um egocentrismo e idolatria privada. Não percebem, de tão escravos que estão da sua vontade imposta sobre a Verdade. Mas eles até pensam que isso é que é a liberdade...
Somos livres porque Deus é livre. A nossa liberdade vem de Deus e para Ele é oblação.

abraço caro amigo

12:38  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial